Afastada cúpula da Assembleia do Amapá

Presidente do Legislativo e primeiro-secretário foram denunciados pelo MP por corrupção e fraude em licitação

ALCINÉA CAVALCANTE, ESPECIAL PARA O ESTADO / MACAPÁ, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2012 | 03h11

A Justiça do Amapá afastou ontem o presidente da Assembleia Legislativa, Moisés Souza (PSC), e o primeiro-secretário, Edinho Duarte (PP). Os dois deputados e outras 15 pessoas, entre servidores do Legislativo do Estado e empresários, foram denunciados pelo Ministério Público (MP) por formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro. O MP chegou a pedir a prisão preventiva deles, mas a Justiça decidiu apenas pelo afastamento.

Uma das licitações apontadas como fraudulentas, conforme revelou o Estado no dia 20, refere-se a um contrato de aluguel de veículos leves e pesados firmado pela Assembleia Legislativa com a Cooperativa de Transporte de Veículos Leves e Pesados do Estado do Amapá (Cootram).

Só no período de 19 de abril de 2011 a 2 de março de 2012, a Assembleia pagou à cooperativa mais de R$ 5,4 milhões. Neste mesmo período, segundo o MP, os deputados gastaram com aluguel de veículos aproximadamente R$ 5, 8 milhões, pagos com a verba indenizatória. Elevando para mais de R$ 10 milhões o custo com o aluguel de carros para uma Assembleia que possui apenas 24 deputados.

Investigações do MP mostram que a cooperativa jamais forneceu nenhum veículo para a Assembleia e que o contrato era um instrumento para lavagem de dinheiro.

Por telefone, Moisés Souza, que está em Brasília, disse que ainda não foi notificado da decisão da Justiça. Mas seu advogado, Inocêncio Mártires, informou que vai recorrer da decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.