Aécio intervém e prefeito do PSB dá mais cargos a tucanos

Senador age para que correligionários ocupem mais espaço na reforma do secretariado da gestão de Belo Horizonte

MARCELO PORTELA / , BELO HORIZONTE , O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2013 | 02h09

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), vai abrir mais espaço no governo para os aliados do PSDB na reforma do secretariado a ser anunciada ainda esta semana após intervenção do senador e pré-candidato tucano à Presidência, Aécio Neves.

O clima entre os dois partidos havia "azedado" porque Lacerda queria nomes técnicos em cargos importantes. Chegou a recusar sugestões do PSDB mineiro.

Na cobiçada Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, por exemplo, os tucanos queriam emplacar o presidente municipal do partido, o deputado estadual João Leite.

Apesar de ser correligionário do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, cotado para a disputa pela Presidência em 2014, Lacerda é mais próximo de Aécio. Daí a intervenção do senador tucano ter dado resultado. O próprio prefeito admitiu ontem que abrirá mais espaço para os tucanos. "Está um ambiente tranquilo, sem nenhuma dificuldade", disse Lacerda, referindo-se à aliança com os tucanos.

A "tranquilidade" é tanta que, mesmo sendo do partido de Campos, Lacerda prefere não declarar apoio a uma possível candidatura do correligionário. "Essa é a pergunta preferida", brincou, referindo-se ao questionamento sobre seu apoio em 2014.

"Em 2009, a pergunta era em 2010, como é que vai ficar (seu apoio). Não adianta anteciparmos isso. A prioridade é fazer um bom trabalho de administração do município", acrescentou.

A gestão em Belo Horizonte foi classificada por Aécio como "a maior vitrine do PSB" no País.

Com a intervenção de Aécio, além de novos postos os tucanos ainda vão manter cargos que ocupam hoje como as secretarias de Saúde e de Desenvolvimento e a BHTrans, responsável pelo gerenciamento do trânsito e do transporte público.

O PSDB ainda reivindica o espaço antes ocupado por petistas, com os quais Lacerda rompeu em 2012, com o aval de Aécio. O PT acabou lançando candidato próprio nas eleições municipais - Patrus Ananias -, que foi derrotado pela aliança de Aécio com Campos, apesar do esforço pessoal de do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de sua sucessora, Dilma Rousseff, na campanha de Patrus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.