Aécio estuda criar Ministério da Infraestrutura

Candidato do PSDB à Presidência diz que excluiria a pasta da Pesca se for eleito e afirma que 23 ministérios é número suficiente

Pedro Venceslau, José Roberto Castro e Stefânia Akel , O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2014 | 11h46

SÃO PAULO - O candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves, afirmou nesta segunda-feira, 4, que sua equipe estuda a criação de um Ministério da Infraestrutura que centralize os projetos para o setor. Defensor da tese de reduzir à metade o número de ministérios, atualmente em 39, o tucano disse que 23 pastas seria o ideal e mencionou a Pesca como exemplo de pastas que extinguiria, se for eleito.

"Estamos estudando a criação de pelo menos um forte Ministério da Infraestrutura", afirmou Aécio em sabatina do portal G1, na capital paulista, sem dar mais detalhes sobre os estudos.

Sobre infraestrutura, Aécio voltou a criticar o governo do PT e disse que o aprendizado do partido no poder custou muito caro ao Brasil. Houve críticas ao relacionamento do governo com o setor privado, antes "demonizado" pelo PT, para o candidato, e promessas de tentativa de atração do capital privado. Segundo o tucano, o governo se rendeu à iniciativa privada de forma "atrasada" e "improvisada".

Licença. Momentos antes da sabatina, Aécio afirmou que vai definir se pedirá ou não licença do seu cargo no Senado na quarta-feira, 6. De acordo com ele, a discussão envolverá colegas de partido, pois uma parte da Executiva acredita que a tribuna da Casa proporciona um bom espaço para posicionamentos do candidato.

O candidato somente confirmou que não receberá salários do Senado enquanto estiver em campanha eleitoral. "Eu já defini que não receberei remuneração nos meses de agosto e setembro, tampouco no mês de julho", afirmou, ao explicar que está providenciando a devolução dos vencimentos deste último mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.