Aécio e Dilma 'dividem' Pezão nas propagandas do 2º turno

Aécio e Dilma 'dividem' Pezão nas propagandas do 2º turno

Ambos os candidatos usam material de campanha com fotos do atual governador que disputa a reeleição e oficialmente é aliado a Dilma, mas também tem apoio do tucano

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2014 | 19h26

 RIO - As campanhas da petista Dilma Rousseff e do tucano Aécio Neves começam a levar para a rua o material confeccionado especialmente para o segundo turno no Rio de Janeiro, com um personagem em comum: o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que disputa a reeleição. Aliado de Dilma, mas apoiado também por Aécio, Pezão está em panfletos, cartazes, bandeiras e plásticos de carros ao lado dos dois presidenciáveis. 

Para alcançar a meta de dobrar a votação de Aécio Neves no Rio, os coordenadores do movimento "Aezão", dissidência do PMDB-RJ que prega o voto em Aécio e Pezão, tentam mobilizar deputados e prefeitos e evitar que eles se dispersem no segundo turno. Dez milhões de panfletos confeccionados para a segunda etapa da disputa, com as imagens de Aécio e Pezão, começaram a ser enviados da capital para a região metropolitana e o interior. 


No próximo domingo, os integrantes do "Aezão" vão testar a mobilização do movimento durante atividade de rua do tucano, provavelmente uma caminhada na Praia de Copacabana (zona sul). "Estou preocupado em botar a tropa na rua, para não esfriar", diz o criador do "Aezão" e presidente do PMDB fluminense, Jorge Picciani. 

Um deputado do PMDB diz que, de fato, os candidatos ao Legislativo, responsáveis pela confecção e distribuição de grande parte do material impresso no primeiro turno, tendem a reduzir o ritmo depois de vencerem ou perderem a disputa. "Está nas mãos dos candidatos a governador e a presidente. Eu tinha mil pessoas trabalhando para mim. Agora, não consigo mobilizar tanta gente. Os deputados estão pensando em como pagar as dívidas da campanha", diz o parlamentar.

Embora Pezão seja aliado de Dilma e tenha atividade de campanha com a petista no próximo sábado, na zona oeste, o "Aezão" é a maior sustentação de Aécio no Rio de Janeiro, terceiro colégio eleitoral do País, com 12 milhões de votantes. O material do segundo turno tenta combinar a ideia de mudança no plano nacional e continuidade no Estado. "Para o Brasil mudar e o Rio continuar mudando", diz o slogan da dupla Aécio-Pezão.

Aécio teve 2,246 milhões de votos (26,9%) no Rio e ficou em terceiro lugar. Marina Silva (PSB) chegou a 31%, com 2,590 milhões de votos e a presidente Dilma teve o melhor desempenho, com 2,970 milhões (35,6%). 


Criado em reação ao "Aezão", o movimento "Dilmão" (que prega o voto em Dilma e Pezão)deve ter pronto o material do segundo turno até esta quinta. A propaganda impressa trará versões com imagens ou só os nomes de Dilma e Pezão. "Vamos ocupar as ruas com bandeiras e cartazes", diz o deputado reeleito Pedro Paulo (PMDB-RJ). 

Obras que são resultados da parceria entre União, Estado e município - como os corredores exclusivos de ônibus Transoeste e Transcarioca e a revitalização da região portuária da capital - são destacadas na propaganda, com os slogans "Parceria que move o Rio" e "Rumo à vitória no segundo turno". 

"Teremos o material pronto para as atividades de Dilma no Rio, no próximo sábado", diz o coordenador da campanha presidencial petista no Estado, Adilson Pires. A presidente vai se dividir entre Pezão e o adversário do governador, Marcelo Crivella (PRB), com quem fará campanha em São Gonçalo (região metropolitana). Por enquanto, a campanha de Crivella vai repetir o material do senador com Dilma usado no primeiro turno. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.