Aécio diz que lançará ‘agenda’ em dezembro

Senador promete 'prévia' de programa de governo e afirma que 'foi dada a largada'

Rene Moreira, Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2013 | 02h15

UBERLÂNDIA - O senador Aécio Neves disse nessa segunda-feira, 28, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, que o PSDB lançará até meados dezembro uma prévia do plano de governo tucano para a disputa presidencial do ano que vem, o que ele chamou de "agenda para o futuro".

O mineiro anuncia que vai antecipar a divulgação de suas propostas no momento em que o provável presidenciável do PSB, Eduardo Campos, promete lançar em 2014 uma "carta" para reforçar compromissos macroeconômicos e apresentar uma plataforma de gestão, conforme revelou o Estado. A intenção de Campos, apoiado pela ex-ministra Marina Silva, é reeditar um documento que dissipe desconfianças no setor econômico, a exemplo da estratégia adotada na eleição de 2002 pelo então candidato petista, Luiz Inácio Lula da Silva, ao divulgar a "Carta ao Povo Brasileiro".

No encontro organizado por aliados no Triângulo Mineiro, Aécio ressaltou que já foi "dada a largada" da corrida pelo Palácio do Planalto. Ele lembrou as viagens que tem feito pelo País. Disse que na semana que vem voltará ao Rio Grande do Sul e depois visitará o Norte e o Centro-Oeste.

"A partir daí estaremos prontos, acredito que na primeira quinzena de dezembro, para lançar não um programa de governo, há tempo ainda, mas as linhas gerais daquilo que vou chamar de agenda para o futuro", afirmou. "As principais ações que, na nossa visão, deveriam rapidamente (ser) implementadas para que o Brasil volte a crescer de forma digna."

Em Uberlândia, Aécio deu início a uma série de eventos batizados de "Conversa com os Mineiros", organizados pelo PSDB e dez partidos aliados no Estado. Apesar de cumprir uma agenda típica de campanha, o senador voltou a dizer que a definição do presidenciável tucano deve ocorrer apenas no ano que vem. "Tenho viajado o Brasil como presidente nacional do PSDB."

Embrião. Aécio destacou que o partido, primeiro, "vai construir as linhas gerais daquilo que será o embrião de um programa para o Brasil" e, a partir daí, "estará pronto para, no início do ano que vem, ter o seu candidato".

O encontro, em um salão de festas, reuniu, segundo os organizadores, mais de mil pessoas, sendo 120 prefeitos, 45 deputados e 200 vereadores. O ex-ministro Pimenta da Veiga, apontado como provável candidato tucano ao governo de Minas, atacou o governo federal: "O Palácio do Planalto virou as costas para Minas. A dona do poder age com arrogância e prepotência", disse, sobre a presidente Dilma.

O governador Antonio Anastasia defendeu o voto em Aécio para a Presidência: "Está dada a largada. É daqui para a vitória", discursou. "Queremos dar fim a esse ciclo de governo que tanto mal está fazendo ao Brasil."

Mais conteúdo sobre:
EleiçõesPSDBAécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.