Aécio diz que depoimentos do caso Petrobrás são ‘estarrecedores’

Aécio diz que depoimentos do caso Petrobrás são ‘estarrecedores’

Tucano rebate declaração da presidente Dilma, que criticou a divulgação dos depoimentos de ex-diretor da Petrobrás e de doleiro

Luciana Nunes Leal e Mariana Sallowicz, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2014 | 22h49

RIO - O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, atacou nesta sexta-feira, 10, a presidente Dilma Rousseff por considerar “estarrecedora” a divulgação do conteúdo dos depoimentos de Costa e Youssef. “Estarrecedores são os depoimentos. Confissão de crimes cometidos sucessivamente nos últimos 12 anos. Assaltaram a maior empresa brasileira nas barbas do governo e não há reação de indignação da presidente.”

Para ele, “o governo do PT deixará uma perversa herança: sinaliza que política se confunde com corrupção”.

Aécio prometeu que, se vencer a eleição, aprofundará as investigações a respeito dos relatos de corrupção na Petrobrás feitos pelo ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa e pelo doleiro Alberto Youssef.


“Vamos a fundo nessas investigações pelas instituições, que já cumprem seu dever constitucional para que todos (envolvidos) possam ser processados e julgados”, disse no Rio, onde passou o dia de ontem e gravou programas eleitorais.

Margem de erro. Aécio também comentou as diferenças entre o que apontavam as pesquisas eleitorais e o resultado da votação do último domingo, quando ficou em segundo lugar com ampla vantagem sobre a candidata do PSB, Marina Silva. 

“Alguns desses institutos de pesquisas devem explicação aos brasileiros. A margem de erro de alguns resultados foge de qualquer lógica”, afirmou. “Mesmo quando estava em terceiro lugar, não me considerei fora do jogo e estou longe de me considerar o candidato eleito.”

Sobre alianças para o 2.º turno, Aécio demonstrou tranquilidade em relação à manifestação de Marina, que fez uma série de exigências para apoiá-lo. “Vejo com enorme naturalidade. No tempo certo ela tomará a sua decisão que será respeitada.’’

O candidato confirmou que receberá amanhã o apoio do PSB de Pernambuco, em ato no Recife que terá a presença da viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata. “É uma honra pessoal receber esse apoio, mas também de enorme emoção porque recebe o apoio do grupo político de Eduardo Campos.” 

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécio NevesPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.