Aécio defende aliança com DEM em SP de olho em 2010

Apesar de o PSDB ter negado em nota oficial que já dê como perdida a candidatura de Geraldo Alckmin à Prefeitura de São Paulo e, por isso, esteja negociando com dirigentes do DEM o apoio dos tucanos a Gilberto Kassab, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), mostrou hoje que o partido tem no horizonte político a disputa presidencial e vê a disputa na capital paulista como escada para selar um aliança com o DEM. "Obviamente, se nós pensarmos em 2010, temos de pensar em ficar juntos (PSDB e DEM) no segundo turno (em São Paulo), qualquer que seja o resultado", afirmou.O Estado revelou na edição de hoje que, se Alckmin não for para o segundo turno, o PSDB fechará oficialmente, e rápido, o apoio a Kassab, da coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC). A direção nacional dos tucanos ainda faz o discurso da crença na recuperação de Alckmin, como também fez hoje Aécio: "Acredito ainda na possibilidade de (Alckmin) ir ao segundo turno e nas suas melhores condições de vencer a eleição".Mais do que negar conversas com Jorge Bornhausen (DEM) sobre as eleições de São Paulo, o comunicado informa que "o PSDB só trabalha com uma hipótese: o candidato do partido, Geraldo Alckmin, estará no segundo turno". Em seguida, afirma que, para o PSDB, "o resultado do primeiro turno depende do esforço da militância tucana e de todo o partido em torno do candidato Geraldo Alckmin", da coligação "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.