Aécio critica uso de verba sem citar ministro

Com o cuidado de não citar diretamente o nome do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra (PSB), o senador Aécio Neves (PSDB), ex-governador de Minas Gerais, um dos Estados mais atingidos pelas chuvas, criticou ontem, após ser provocado sobre o tema, a distribuição de recursos públicos para fins eleitorais.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2012 | 03h09

"Qualquer destinação de recursos públicos que fuja de critérios técnicos e sem observar as emergências de cada região deve ser condenada e imediatamente corrigida", afirmou. "E o procedimento se aplica a todas as áreas, sobretudo às que envolvem vidas humanas." Segundo Aécio, em todas as situações deve prevalecer o critério técnico na distribuição de dinheiro público.

Apesar da crítica sutil, o ex-governador mineiro disse ter conversado por telefone com o ministro, que lhe prometeu dar "toda atenção" a Minas. Fernando Bezerra visita hoje as áreas mais atingidas do Estado, na companhia do governador Antonio Anastasia (PSDB).

Aliança. Anastasia também havia evitado críticas diretas a Bezerra para preservar as relações políticas com o PSB, partido que o apoiou na eleição do ano passado. O PSB está no arco de alianças dos tucanos em Minas Gerais e na capital Belo Horizonte, onde o prefeito Márcio Lacerda (PSB) tentará a reeleição com o apoio do PSDB. Além disso, faz parte da estratégia política tucana manter boas relações com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB.

Reportagem do Estado publicada na terça-feira mostrou, com base em dados do Tesouro Nacional e da organização não governamental Contas Abertas, que Pernambuco concentrou quase 90% dos gastos da pasta destinados à prevenção e recuperação de áreas atingidas por desastres naturais, como enchentes e desmoronamentos.

Fernando Bezerra, pernambucano, foi indicado para a pasta por Eduardo Campos. O ministro, hoje, é visto como uma espécie de curinga do governador para disputar cargos públicos.

Ex-prefeito de Petrolina, ele transferiu recentemente o título eleitoral para Recife, o que alimentou especulações sobre a possibilidade de Fernando Bezerra ser o candidato do governador para a Prefeitura do Recife. O ministro e o governador, por ora, negam a pré-candidatura. / ROSA COSTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.