Advogados pedem que julgamento seja feito após eleições

Cinco advogados de São Paulo pediram ontem à presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, que pondere com seus colegas que é inoportuno julgar o mensalão durante o período de campanha. O julgamento começa em 2 de agosto e deve durar ao menos um mês. Eles observam que os debates entre defesa e acusação serão televisionados e noticiados pelos meios de comunicação. "O desequilíbrio, em desfavor dos partidos envolvidos, é evidente. Tem-se o pior dos mundos: a judicialização da política e a politização do julgamento. Perde a democracia, com a realização de uma eleição desequilibrada. Perde a República, com o sacrifício dos direitos dos acusados ao devido processo legal", diz a petição de Marcelo Figueiredo, Marco Aurélio de Carvalho, Gabriela Shizue Soares de Araújo, Fábio Roberto Gaspar e Ernesto Tzulrinik. / MARIÂNGELA GALLUCCI

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.