'Advogados de offshore não falam pelo ex-prefeito'

Defensor dos Maluf no Brasil rechaça versão sobre contas em Jersey e diz que Flávio e Paulo não são parte daquela ação

O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2012 | 03h07

O advogado criminalista José Roberto Batochio, que defende o empresário Flávio Maluf, afirmou ontem que o filho mais velho do deputado Paulo Maluf (PP-SP) "não é parte no processo que tramita na Ilha de Jersey". Batochio disse que "nenhum advogado pode fazer, em nome de Flávio ou de Paulo Maluf, afirmações nesse ou naquele sentido".

Perante a corte do paraíso fiscal, advogados das offshores Durant e Kildare admitiram que a família Maluf controlava contas na ilha. "É equivocada a conotação de que os advogados de Paulo e de Flávio Maluf reconheceram contas em Jersey", reage Batochio. "A ação é da Prefeitura de São Paulo contra a Durant e a Kildare. Flávio e Paulo não são parte no processo. É uma demanda que envolve outras partes, não pode afetar terceiros."

Enfático, Batochio assinala. "O que a Prefeitura e os advogados das offshores falam não tem nada (com os Maluf). Flávio e Paulo não são réus, não são parte, não são autores (da ação). Se algum advogado (em Jersey) falou isso, não é advogado dos Maluf, mas de pessoas jurídicas que estão litigando no processo."

"A defesa das pessoas jurídicas não se confunde com a defesa dos Maluf e nem poderia porque, reitero, eles não são parte no processo de Jersey", assevera Batochio. "Ambos (os Maluf) não mudaram a posição nos processos a que respondem aqui (no Brasil). A defesa (das offshores) fala o que quer para sustentar suas teses. Trata-se de mero argumento de quem está defendendo uma tese jurídica em favor de uma terceira pessoa. Tudo o que controverte nos autos são argumentos entre aquelas partes." / FAUSTO MACEDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.