Advogado nega que tenha sido beneficiado por decisões

Um dos principais alvos da investigação sobre o Tribunal de Justiça do Paraná, o advogado Marcelo Simão nega que tenha sido beneficiado por decisões de magistrados ou que mantenha relações próximas com os juízes. Ele diz que desconhece a existência do inquérito. "A relação que mantive com serventuários ou magistrados foi sempre de cunho profissional", garante, sustentando que só conheceu os juízes que o nomearam síndico de falências no dia da decisão. "A concentração de falências quer dizer resultado. Hoje, para trabalhar nessa área, é preciso know how. Meu trabalho é de referência", explicou.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

15 Junho 2013 | 02h10

O deputado Fábio Camargo afirmou que de fato se candidatará à vaga do Tribunal de Contas, mas negou que precisasse de apoio da família Simão. Afirmou ainda que, ao tentar investigar o esquema de direcionamento de falências, foi perseguido pela família de Simão. "Desde que comecei a investigar as falências, essa família me persegue", completou. O Tribunal de Justiça do Paraná, procurado na terça-feira, informou que não havia respostas dos desembargadores até ontem. / F.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.