Ricardo Barbosa / ALMG
Ricardo Barbosa / ALMG

Adalclever Lopes (MDB) é anunciado como candidato ao governo de Minas

Presidente da Assembleia assume cabeça de chapa no lugar de Marcio Lacerda e se apresenta como 'terceira via' na disputa ao Palácio da Liberdade

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2018 | 13h21

BELO HORIZONTE - O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Adalclever Lopes (MDB), foi anunciado nesta quinta-feira, 23, como candidato ao governo do Estado na coligação anteriormente encabeçada pelo ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda, que abandonou a disputa após pressão da Executiva Nacional do PSB, partido do qual anunciou sua saída. Os demais cargos da chapa majoritária serão confirmados até a próxima segunda-feira.

“Vamos dar a Minas Gerais a terceira via, uma nova opção que não esteja polarizada entre o PT e o PSDB”, afirmou Aldalclever ao lado dos presidente dos seis partidos que compõem a coligação: MDB, PDT, PROS, PV, PRB e Podemos. Lacerda também esteve presente no anúncio.

Adalclever afirmou que continuará com o mesmo programa de governo do ex-prefeito de Belo Horizonte. O candidato emedebista disse que espera atrair os eleitores que votariam em Lacerda. “Espero herdar não só o plano de governo, como eu conto com ele para que possamos governar o Estado”, disse, comentando a possibilidade da transferência de votos. Adalclever disse que poderá convidar Lacerda para integrar o governo, caso seja eleito.

Outro nome cotado para assumir a vaga era do deputado Jaime Martins (PROS), que era o candidato ao Senado na configuração anterior da coligação. O parlamentar afirmou, porém, que  decidiu não disputar nenhum cargo nessas eleições. “Houve uma mudança nos rumos, tínhamos um projeto. A velha política venceu novamente”, disse o deputado, que está em seu sexto mandato. Apesar de apoio à candidatura de Adalclever, o PROS não está na coligação proporcional com os partidos da aliança.

Após um acordo nacional entre PSB e PT, Lacerda teve que retirar a candidatura ao governo de Minas Gerais, para que os pessebistas não estabelecessem coligação na eleição presidencial. O ex-prefeito de Belo Horizonte ainda tentou manter a candidatura na Justiça, mas decidiu abandonar a disputa na última terça-feira.

Para a vaga de vice de Adalclever, os partidos procuram uma mulher. Laura Medioli, casada com o prefeito de Betim, Vittorio Medioli, chegou a ser convidada, mas declinou do convite. O ex-secretário da prefeitura de Belo Horizonte Daniel Nepomuceno (PV) é cotado para concorrer ao Senado na chapa.

Indefinições

Ao lado de Adalclever durante o anúncio da candidatura do emedebista, Lacerda não se pronunciou sobre a escolha nem sobre qual será o papel dele na campanha. Lacerda afirmou que “não é importante neste momento” a decisão sobre qual partido ele se filiará.

Reunindo MDB e PDT, a coligação de Adalclever poderia dar palanque tanto para o presidenciável Henrique Meirelles (MDB) quanto para Ciro Gomes (PDT). No entanto, o apoio para a disputa presidencial não foi confirmado ainda. “Nós estamos discutindo a candidatura ao governo de Minas. As candidaturas nacionais serão discutidas no âmbito nacional”, disse Adalclever.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.