Acusado de fazer espionagem, Cid chama petista de leviano

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), chamou ontem o deputado federal Eudes Xavier (PT-CE) de leviano. Na quinta-feira, o deputado, em discurso no plenário na Câmara, acusou Cid e seu irmão, o ex-ministro Ciro Gomes, de montarem uma rede para espionar adversários no Estado. Cid foi acusado por Xavier de contratar a empresa Kroll para espionar o ex-deputado federal Roberto Pessoa (PR-CE).

LAURIBERTO BRAGA / RTALEZA, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

06 Abril 2013 | 02h12

"Todas acusações são invenção, falsas e mentirosas", afirmou ontem o governador, durante evento na Assembleia Legislativa do Ceará. Cid disse que vai processar política, civil e penalmente o deputado Eudes Xavier. Através de nota oficial o Governo do Estado destacou que as acusações "são mentirosas e os e-mails são falsos".

Xavier afirmou que recebeu em seu gabinete cópias de e-mails que teriam sido enviados pelos irmãos. Uma mensagem eletrônica atribuída a Cid diz que Ciro Gomes esteve em São Paulo com executivos da Kroll, para tratar do "assunto Roberto Pessoa" e pede que o governo não seja envolvido no caso.

Em outro e-mail atribuído a Cid, o governador, segundo Xavier, demonstra arrependimento por ter pedido ajuda a Ciro na gestão da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

O deputado apresentou ainda outro e-mail, atribuído a Ciro, cujo texto afirma que um desembargador foi procurado para acelerar um processo contra Roberto Pessoa.

O governador cearense reconheceu que pediu ajuda de Ciro para a área de segurança, mas em concordância com o secretário de Segurança, coronel Francisco Bezerra. "Não vejo nenhum problema nisso", destacou.

PF. Xavier pediu que a Câmara dos Deputados encaminhe a denúncia ao Ministério da Justiça para que a Polícia Federal abra uma investigação formal.

Para Cid, todas acusações são "invencionices". "São baboseiras que visam exclusivamente atingir a nós que ganhamos as eleições de Fortaleza, pois são coisas forjadas, maquinadas por uma quadrilha que se monta no interesse de me difamar", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.