Amanda Perobelli/Estadão - 4/12/2017
Amanda Perobelli/Estadão - 4/12/2017

Abilio Diniz tem atuação discreta nas eleições 2018

Empresário promove encontros com presidenciáveis; já sua filha, Ana Maria Diniz, é coordenadora do programa de educação da campanha presidencial do PSDB

Renata Agostini, O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2018 | 05h00

O empresário Abilio Diniz, pai e sócio de Ana Maria Diniz na Península Participações, tem atuado de forma mais discreta – e multipartidária – nas eleições 2018 que a filha, coordenadora do programa de educação da campanha presidencial do PSDB

Abilio decidiu promover em parceria com Rubens Ometto, dono da Cosan, encontros pra aproximar presidenciáveis de empresários, executivos e banqueiros. Na estreia, no mês passado, o convidado foi o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), que se reuniu na sede da Península com o empresário e nomes como Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco, e David Feffer, presidente do conselho da Suzano. 

A ponte entre Abilio e o candidato à Presidência pelo PSL foi facilitada por Frederico d’Avila, irmão do cientista político Luiz Felipe d’Avila, coordenador da campanha presidencial tucana, e cunhado de Ana Maria. Fred, como é conhecido, foi aliado por muitos anos de Geraldo Alckmin, de quem chegou a ser assessor especial no governo de São Paulo. Este ano, porém, decidiu militar em front oposto: filiou-se ao PSL e tornou-se um dos colaboradores de Bolsonaro.

O empresário ainda não declarou voto a ninguém – e não costuma mesmo fazê-lo. O próximo a ser recebido para uma conversa deve ser justamente o aliado da filha e do genro, o tucano Geraldo Alckmin. A ideia é conversar também com outros presidenciáveis, como Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT). 

Em entrevista ao Estado em dezembro do ano passado, Abilio disse que nunca manifestou publicamente sua preferência política e que pretendia, neste ano, usar sua “voz e poder de convencimento” nas redes sociais para estimular as pessoas a conhecerem bem os candidatos à Câmara dos Deputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.