RAFAEL CARVALHO/GOVERNO DE TRANSIÇÃO
RAFAEL CARVALHO/GOVERNO DE TRANSIÇÃO

'A UDN está de portas abertas para a família Bolsonaro', diz presidente do partido

Fundador da sigla, que está em fase de criação, diz esperar que homologação da legenda aconteça em meados de novembro, viabilizando participação nas eleições de 2020

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2019 | 14h43

Fundador e presidente da UDN – partido que está em fase final de criação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) –, Marcus Alves disse nesta terça-feira, 8, ao Estado ter a expectativa de que a sigla seja homologada em meados de novembro.

Nesse caso, estaria, portanto, apta a registrar candidatos para as eleições de 2020. "Só falta homologar os diretórios de alguns Estados", afirmou. 

O Estado apurou que o dirigente tem conversado com interlocutores do clã Bolsonaro, que tem enfrentado crises internas no PSL.

O presidente Jair Bolsonaro chegou a falar a um apoiador nesta terça que era para ele "esquecer" a sigla pela qual ele se elegeu e acrescentou que o presidente da legenda, o deputado Luciano Bivar (PE), "está queimado para caramba".

"Estamos de braços abertos para a família Bolsonaro", disse Alves. 

Em fevereiro, o Estado revelou que o clã Bolsonaro negociava migrar para nova UDN, reedição da antiga União Democrática Nacional.

Aliados da família contam que outra opção é o Patriotas, partido que chegou a negociar com Bolsonaro antes das eleições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.