À 'caneta' da União, o carinho tucano

Governadores derramam-se em elogios a Dilma após governo aumentar limite de endividamento

LU AIKO OTTA, TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2011 | 03h08

Raras vezes se viu uma demonstração tão clara do poder da caneta presidencial. Ontem, quatro dos principais governadores tucanos estiveram no Palácio do Planalto para agradecer a autorização dada pelo governo federal para que possam contratar novos empréstimos.

"Grande presidente, que trabalha muito pelos paulistas, por todos os Estados e pelo Brasil", louvou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que poderá se endividar em mais R$ 7 bilhões. Ele apoiou a prorrogação DRU por quatro anos.

"Alagoas está com saudades da senhora", derramou-se o governador do Estado, Teotônio Vilela (PSDB), brindado com um limite extra de R$ 666 milhões. Ele agradeceu pela "relação parceira, republicana e extremamente respeitosa para com o nosso povo tão sofrido".

O tucano Beto Richa, governador do Paraná, engrossou o coro: "Tenho visto que isto se reproduz em todos os Estados, a boa relação com o governo federal, relação republicana, harmoniosa e eu agradeço a todos os ministros e em particular à presidenta pela cordialidade com que tem nos tratado". Ele poderá investir mais R$ 1,192 bilhão.

"Não chegaríamos a este momento se não houvesse a boa vontade, trabalho coletivo e parceiro", disse o mineiro Antonio Anastasia (PSDB), que foi autorizado ontem a contratar R$ 3 bilhões. No mesmo diapasão, Dilma ressaltou o trabalho conjunto entre União e Estados em favor dos investimentos e do crescimento econômico. O ministro Guido Mantega (Fazenda) disse que os Estados ajudarão a fazer o PIB crescer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.