'A África será minha prioridade', diz Graziano

Brasileiro assume FAO e promete trabalhar para erradicar a fome, mas descarta criar programa semelhante ao Fome Zero

ANDREI NETTO, CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2012 | 03h05

Sob a gestão de José Graziano, ex-ministro de Segurança Alimentar do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) vai priorizar o combate à fome na África. Eleito em junho, Graziano assumiu o cargo na segunda-feira, mas só ontem concedeu entrevista aos jornalistas.

O ex-ministro brasileiro apresentou as estratégias e os objetivos de sua gestão: erradicar a fome, protegendo os recursos naturais e promovendo ações de mitigação das mudanças climáticas. Prometeu ainda dar continuidade à reforma da instituição e intensificar os tralhados de campo.

Para Graziano, embora haja bolsões de pobreza e de fome em diferentes regiões do mundo, a prioridade da FAO deve ser a África. "A África será a minha prioridade durante o meu mandato", reiterou.

Questionado se a experiência do Programa Fome Zero no Brasil poderia ser expandida, Graziano lembrou que programa não era apenas uma medida, mas um conjunto de mais de 60 ações em diferentes regiões do País. "É importante que cada país enfrente a fome baseado em suas experiências locais", ponderou. "Não existe bala de prata para acabar com a fome."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.