30 mil não índios vivem em reservas de forma irregular

Os indígenas não são os únicos a ocupar as terras demarcadas pelo governo. Uma população de 30,6 mil não índios vive em territórios indígenas, segundo o Censo 2010. Eles equivalem a 5,4% da população total dessas 505 áreas legalizadas. Houve ainda 20 mil pessoas residentes nas terras reservadas aos indígenas que não responderam ou deram informações imprecisas ao IBGE. "Em princípio, as terras são de uso exclusivo dos indígenas, vamos ver como é a ocupação dos não indígenas", diz a presidente da Funai, Marta Azevedo. Segundo técnicos do IBGE, a relação nem sempre é conflituosa. Há casos de moradores ilegais, mas também pessoas que se casaram com índios, agentes de saúde e de assistência social, integrantes das Forças Armadas e outros profissionais. O Censo mostra ainda que apenas 12,6% dos domicílios indígenas eram ocas ou malocas. Em 59% das terras indígenas, não havia uma oca sequer. Com mais de 9 milhões de hectares - mais de duas Suíças -, a terra Yanomami, distribuída entre Amazonas e Roraima, tem o maior número de habitantes: 25,7 mil. "Eles mantêm condições tradicionais de vida, falam pouco português, têm poucas doenças. São hoje o que era o Xingu há 60 anos", compara o antropólogo João Pacheco. / L.N.L

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.