Visita ao Brasil: pronunciamento de Obama nos EUA foi mais esclarecedor do que o do Planalto

Visita ao Brasil: pronunciamento de Obama nos EUA foi mais esclarecedor do que o do Planalto

Jose Roberto de Toledo

19 de março de 2011 | 13h45

O Brasil é responsável pela geração de 250 mil empregos nos EUA, graças às suas importações. Assim Barack Obama justificou seu fim-de-semana na América Latina para os norte-americanos. Seu interesse aqui é comercial.

Dilma e Obama no Planalto (foto: Antonio Cruz/ABr)

Dilma e Obama no Planalto (foto: Antonio Cruz/ABr)

Em comparação ao discurso que fez no Palácio do Planalto, ao lado de Dilma Rousseff, a fala de Obama em Washington, antes de partir, foi muito mais concreta. Ele quer aproveitar o rápido crescimento econômico da América Latina para conseguir atingir a meta que impôs ao seu governo: dobrar as exportações dos EUA até 2014.

Em Brasília, Obama falou, protocolarmente, de parcerias institucionais com o Brasil. Citou a criação do G-20, e deu a entender que, por ora, esse é o fórum adequado para o País. Nenhuma palavra sobre a reivindicação brasileira por uma cadeira permanente no Conselho de Segurança da ONU. Na Índia, endossou a reivindicação indiana.

A intenção de Obama com a viagem, pelo que demonstrou até agora, é abrir mercados para empresas norte-americanas no Brasil. Em contrapartida, oferece comprar combustível brasileiro. Até agora, essa é a tônica da passagem de Obama por Pindorama: comércio, comércio e… talvez um mergulho.

Veja aqui a íntegra do discurso de Obama nos EUA.

Mais conteúdo sobre:

Dilmaobama