São Paulo é capital com menor crescimento da renda na década

São Paulo é capital com menor crescimento da renda na década

Jose Roberto de Toledo

20 de junho de 2011 | 15h29

Foram apenas 4% de crescimento da renda média da população paulistana entre 2000 e 2010. É o pior resultado entre as capitais brasileiras na década. No ranking de renda dessas 27 cidades, São Paulo foi ultrapassada por Brasília, Curitiba e Rio de Janeiro, caindo do 4º para o 7º lugar, com R$ 1.495 por morador. A locomotiva foi parar na rabeira da composição.

Nesse intervalo, a cidade de São Paulo foi governada pela petista Marta Suplicy (de 2001 a 2004), pelo tucano José Serra (de 2005 a 2006), pelo ex-democrata e agora pessedista Gilberto Kassab (de 2006 até hoje). Os dois primeiros são cogitados como postulantes ao cargo de prefeito em 2012. E o atual prefeito reafirmou nesta segunda, em sabatina, que se dá nota 10 por sua gestão.

Não por acaso, nesse período, São Paulo expulsou mais gente do que recebeu. De cidade formada por ondas sucessivas de migrantes, estrangeiros e brasileiros, a capital paulista se transformou em centrífuga demográfica. Entre chegadas e partidas, o saldo negativo foi de cerca de 130 mil habitantes na década.

Ao mesmo tempo, uma das cidades que mais recebeu paulistanos em busca de melhor qualidade de vida pulou para o primeiro lugar no ranking de renda por habitante das capitais: Florianópolis (SC) aumentou sua renda 30% acima da inflação, chegou a R$ 1.905 e desbancou Porto Alegre (RS) no topo da classificação.

As capitais que ganharam posições no ranking foram: Rio de Janeiro, Aracajú, João Pessoa e Macapá (duas cada); Florianópolis, Vitória, Brasília, Palmas, Porto Velho e Rio Branco (uma cada). As que perderam: São Paulo e Salvador (três cada); Maceió, Campo Grande e Porto Alegre (duas cada); São Luís e Belém (uma cada). As 10 restantes ficaram onde estavam.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: