Obama melhorou imagem dos EUA entre brasileiros, mas ainda não compensou estrago da Era Bush

Jose Roberto de Toledo

18 de março de 2011 | 21h18

Barack Obama chega ao Brasil com um voto de confiança dos donos da casa. Desde que ele foi eleito, a avaliação positiva dos brasileiros sobre os EUA aumentou 16 pontos. Segundo pesquisa Ibope para o Latinobarômetro, melhorou também a percepção sobre a relação entre os dois países.

Mas Obama precisará percorrer um longo caminho para recuperar a importância que seu país tinha no imaginário brasileiro antes da Era Bush. No final do governo Clinton, um em cada três brasileiros considerava os EUA o melhor amigo do Brasil no mundo. Uma década depois, essa proporção caiu para apenas 1 em cada 10.

Dos três destinos de Obama nesta viagem, o Brasil é o mais delicado. É onde mais gente acha que os EUA são desrespeitosos com seu país (33%); e onde menos pessoas avaliam a influência norte-americana na América Latina como positiva (60%).

Os corações e mentes que Obama mais precisa conquistar são os dos brasileiros com mais de 40 anos, do sexo feminino e pouca escolaridade. Para atingir esses alvos, não bastam novos acordos comerciais. O presidente norte-americano precisará fazer algo que simbolize respeito e amizade. Até segunda-feira ele terá várias oportunidades para fazer um gesto assim.

Leia

Documento

a íntegra da pesquisa do Latinobarômetro sobre a imagem dos EUA no Brasil e na América Latina.

Mais conteúdo sobre:

BrasilDiplomaciaEUAibopepesquisa