Marta é a mais citada por Haddad e Serra em debate

Marta é a mais citada por Haddad e Serra em debate

Jose Roberto de Toledo

18 de setembro de 2012 | 20h06

José Roberto de Toledo
Pedro Rocha

A senadora Marta Suplicy (PT) foi a estrela do debate ‘Estado’/ YouTube/TV Cultura. Consideradas as falas dos três candidatos que lideram a corrida eleitoral paulistana, Marta recebeu 13 menções: 8 por Fernando Haddad (PT) e 5 por José Serra (PSDB). Celso Russomanno (PRB) não citou Marta, mas, mesmo assim, ninguém foi mais mencionado do que ela.

Nem Lula (7 citações), nem Dilma Rousseff (7), nem Geraldo Alckmin (4), nem Gilberto Kassab (4) chegaram perto da nova ministra da Cultura. Foi a nomeação de Marta para o cargo que provocou a avalanche de menções ao seu nome. A troca do ministério pelo apoio ao candidato do PT provocou a principal altercação verbal entre Haddad e Serra durante o debate.

Russomanno foi 28% mais lento do que costuma ser na propaganda eleitoral. Durante os cerca de 15 minutos que ocupou no debate, o candidato do PRB falou uma média de 139 palavras por minuto. Nos primeiros 14 programas de sua propaganda de TV, a média de Russomanno foi consideravelmente mais alta: 192/minuto. O conteúdo, porém, foi igual: “vamos”, “pessoas”, “fazer”. Ele repete mais palavras e usa um vocabulário menor que os rivais.

Serra falou 20 segundos a mais do que Russomanno e Haddad, mas foi o mais lento dos três. Foram 135 palavras por minuto, 14% a menos do que costuma empregar na sua propaganda na TV. Essa queda é esperada, porque, no debate, os candidatos pensam para falar e não leem um texto pronto.

Dos três, Haddad foi o que mais palavras falou, numa média de 143 por minuto. Falar muito em pouco tempo e com vocabulário amplo dificulta a compreensão de quem assiste pela TV ou internet.

“São Paulo” foi a expressão mais usada por Haddad e Serra. Apesar de os dois se intitularem candidatos da mudança, o petista usou a palavra mais vezes do que o tucano: 7 a 3.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.