Lula e os boatos

Lula e os boatos

Jose Roberto de Toledo

23 de julho de 2013 | 19h28

Como ocorrera na semana passada quando desmentiu que tinha uma recidiva do câncer, Lula voltou a mostrar vitalidade ao discursar nesta terça-feira durante um festival em Brasília. Mais importante para a presidente Dilma Rousseff, o padrinho voltou a defender a afilhada, com veemência.

No seu discurso, foi um cabo-eleitoral de Dilma. Defendeu o Mais Médicos, falou contra a redução dos 39 ministérios e repetiu que está bem de saúde. O ex-presidente está se empenhando para contrariar os petistas que defendem o “volta, Lula”.

Ao enfrentar o boato sobre sua saúde, Lula foi eficiente: as buscas no Google pelas expressões “Lula câncer” e “Lula internação”, que haviam disparado desde a semana retrasada, praticamente desapareceram depois que ele veio a público desmentir a história. Mostrou, de novo, que encarar de frente um tema que a maioria dos políticos considera tabu vale o risco.

Já em relação ao boato de que seria candidato a presidente em 2014, Lula continua se esforçando para negá-lo. Mas com resultado menos eficaz. Talvez porque boa parte dos petistas não queira acreditar na negativa. Così è, se vi pare.

Tudo o que sabemos sobre:

2014DilmaeleiçãoLulasaúde

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: