Errei: Ibope tem 90% de acerto nas 10 eleições do 2º turno; errou no DF por 1 ponto…

Errei: Ibope tem 90% de acerto nas 10 eleições do 2º turno; errou no DF por 1 ponto…

Jose Roberto de Toledo

01 de novembro de 2010 | 01h01

Diferentemente do publicado anteriormente aqui, o percentual de acerto do Ibope no 2º turno foi de 90% e não de 100%. A margem de erro da pesquisa no Distrito Federal foi de 2 pontos percentuais, e não de 3 pontos, como na tabela abaixo. Assim, o resultado no DF ficou um ponto fora da margem de erro prevista. O vencedor teve 66% dos votos válidos, contra os 63% apontados pela pesquisa de véspera.

Foi um ponto só de diferença, mas, tecnicamente, está errado. Isso é suficiente para desacreditar a metodologia das pesquisas que acertaram todas as outras eleições dentro da margem?

O principal mérito das pesquisas é contar a história da eleição, os altos e baixos, as quedas e ascensões, a segmentação do eleitorado, suas preferências, suas mudanças de opinião. Nisso, tanto no primeiro turno quanto no segundo, a maioria das pesquisas contribuiu muito mais do que atrapalhou.

Sem as pesquisas do Ibope não teríamos ficado sabendo, por exemplo, que parte do eleitorado evangélico e depois católico saiu da canoa de Dilma Rousseff no fim do primeiro turno. Nem que retornaram na reta final do segundo turno. Teríamos assistido o PT correr atrás de bispos de todas as igrejas sem entender o motivo. A carta de Dilma descartando mudar a legislação que proíbe o aborto seria inexplicável.

As pesquisas de intenção de voto foram fundamentais para ajudar a contar a história desta eleição. Como uma margem de erro muito menor do que se dependêssemos exclusivamente das declarações dos políticos e candidatos.

Tudo o que sabemos sobre:

2010eleiçãoiboperesultado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.