Ibope: Popularidade de Dilma volta ao nível pré-campanha eleitoral

Ibope: Popularidade de Dilma volta ao nível pré-campanha eleitoral

Jose Roberto de Toledo

17 Dezembro 2014 | 18h56

Ibope Dilma

Como costuma acontecer quando o governante é um dos candidatos, a popularidade da presidente Dilma Rousseff (PT) melhorou entre setembro e outubro, durante a campanha eleitoral – o suficiente para reelegê-la. Acabada a propaganda diária no rádio e na TV, a taxa de bom e ótimo presidencial voltou ao patamar pré-campanha. É o que mostra pesquisa Ibope-CNI divulgada nesta quarta-feira.

Hoje, 40% dos brasileiros consideram o governo Dilma ótimo/bom, segundo a pesquisa concluída em 8 de dezembro. Em 24 de outubro, pouco antes do segundo turno presidencial, essa taxa chegara a seu ponto mais alto na série do Ibope em 2014: 46%. Ou seja, a presidente perdeu seis pontos positivos desde então. Na prática, os 40% atuais equivalem aos 38% que ela tinha em 8 de setembro.

Já a taxa dos que acham o governo Dilma ruim ou péssimo saiu de 28% no começo de setembro para 23% no final de outubro, e voltou agora ao patamar dos 27%. Ao mesmo tempo, os que qualificam sua gestão de regular passaram de 33% para 30% e são agora 32%. O 1% restante é de pessoas que não souberam/não quiserem responder.

Indagados se aprovam ou desaprovam o governo Dilma – ou seja, quando não podem ficar em cima do muro -, 52% dos brasileiros respondem que o aprovam, e 41%, que o desaprovam, segundo a pesquisa Ibope/CNI de dezembro. É um cenário menos favorável à presidente do que o de outubro (58% a 37%), mas ainda é mais pró-Dilma do que o encontrado pelo Ibope em setembro: 48% a 46%.

A CNI só divulga pesquisas de avaliação do governo a cada três meses. Por isso, é necessário comparar seus resultados com levantamentos mais recentes do mesmo instituto, o Ibope, para compreender as tendências atuais da opinião pública e, eventualmente, não transformar queda em crescimento, ou vice-versa.