Ibope faz primeira pesquisa de 2012 em São Paulo

Ibope faz primeira pesquisa de 2012 em São Paulo

Jose Roberto de Toledo

05 de maio de 2012 | 15h59

O Ibope está fazendo uma pesquisa sobre a eleição paulistana neste fim-de-semana. Ela foi registrada na sexta-feira e, pelos prazos da legislação eleitoral, poderá ser divulgada a partir de quarta-feira. A pesquisa está sendo custeada pelo próprio Ibope: R$ 45,6 mil. Serão 805 entrevistas, o que corresponde a uma margem de erro máxima de 3 pontos porcentuais, para mais ou para menos. Seu número de protocolo é SP-00027/2012.

A pesquisa estimua apenas um cenário, com 10 candidatos, distribuídos em uma cartela circular para evitar que um deles seja favorecido por aparecer acima dos demais. Os nomes estimulados são os de Soninha (PPS), Carlos Gianazzi (PSOL), Celso Russomanno (PRB), Fernando Haddad (PT), Gabriel Chalita (PMDB), José Serra (PSDB), Levy Fidelix (PRTB), Luiz Flavio Borges D’Urso (PTB), Netinho (PC do B) e Paulinho da Força (PDT). Os partidos dos pré-candidatos não aparecem na cartela, para não influenciar o eleitor nem forçar uma associação que ele pode desconhecer.

A pesquisa será importante para o jogo de alianças partidárias. O eventual crescimento das intenções de voto de Haddad e/ou de Chalita poderia ajudá-los na busca de coligações com outros partidos para aumentarem seu tempo de propaganda na TV e no rádio. Resultados que apontem estagnação ou retrocesso de um deles ou de ambos, ao contrário, podem aumentar o custo dos apoios que eles buscam e facilitar a vida de Serra.

Após aferir a intenção de voto espontânea e estimulada, e a rejeição aos pré-candidatos, o questionário do Ibope pede ao eleitor para avaliar a administração do prefeito Gilberto Kassab (PSD) e indaga quais áreas (calçamento, saúde, educação, por exemplo) têm mais problemas na cidade de São Paulo. Ao final, pede ao entrevistado para avaliar os governos estadual, de Geraldo Alckmin (PSDB), e federal, de Dilma Rousseff (PT).

Pode-se dizer que esta é a primeira pesquisa pública feita pelo Ibope sobre a atual corrida eleitoral paulistana que leva em conta todos os pré-candidatos que mais têm se destacado até agora. O cenário estimulado desta vez não é comparável a pesquisa do Ibope feita em dezembro do ano passado porque os cenários testados então não incluíam Russomanno.

A nova pesquisa poderá ser comparada com a anterior na parte da intenção de voto espontânea. Em dezembro, 45% dos eleitores paulistanos não sabiam responder em quem votariam sem o estímulo de uma cartela com o nome dos candidatos, e outros 29% diziam que votariam branco/nulo. Apenas 15% dos eleitores tinham na ponta da língua o nome de um dos pré-candidatos: Serra foi citado por 5% dos eleitores; Haddad e Netinho, por 3%; Soninha, por 2%; Paulinho e Chalita, por 1%.

A pesquisa Ibope também pode ser comparada à mais recente sondagem do Datafolha, feita nos dois primeiros dias de março. Naquela pesquisa, levada a campo após Serra ter se lançado à disputa paulistana, o tucano aparece com 12% de intenções de voto espontânea, contra 2% de Russomanno, 1% de Chalita e 1% de Haddad.

No cenário mais parecido com o estimulado pelo Ibope desta vez, Serra aparecia no Datafolha de março com 30% das intenções de voto estimuladas, contra 19% de Russomanno, 10% de Netinho, 8% de Paulinho, 7% de Soninha, 7% de Chalita, 3% de Haddad, 1% de D’Urso e 1% de Fidelix. Os cenários não são idênticos, porque o do Datafolha não incluía Gianazzi.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: