Empatados, Marta e Doria se aproximam de Russomanno no Ibope

Jose Roberto de Toledo

14 de setembro de 2016 | 22h30

Pesquisa Ibope mostra que, após TV, diminui a vantagem do líder para os segundos colocados; Haddad fica estável no 4º lugar

Jose Roberto de Toledo
Daniel Bramatti

A primeira pesquisa Ibope/Estado/TV Globo sobre a sucessão paulistana após o início da propaganda eleitoral no rádio e na TV mostra que Marta Suplicy (PMDB) e João Doria (PSDB) diminuíram a vantagem de Celso Russomanno (PRB). A peemedebista foi de 17% para 20%, e o tucano subiu de 9% para 17%. Agora, os dois estão tecnicamente empatados. A margem de erro é de três pontos percentuais. Russomanno foi de 33% para 30% na estimulada (quando o pesquisador mostra os nomes dos candidatos).

A disputa pelas duas vagas no segundo turno se concentrou entre os três primeiros colocados, já que o atual prefeito, Fernando Haddad (PT), continua com os mesmos 9% que tinha antes e está agora a 11 pontos de distância de uma vaga no segundo turno. Com apenas 10 segundos de propaganda, Luiza Erundina (PSOL) caiu de 9% para 5% das intenções de voto e foi para o quinto lugar.

Não houve alterações estatisticamente significativas entre os demais candidatos: Altino (PSTU) e Ricardo Young (Rede) foram de 1% para zero, Major Olímpio (PSC) foi de 2% para 1%, Levy Fidélix (PRTB) e João Bico (PSDC) ficaram com 1%, e Henrique Áreas (PCO) continuou com zero. Os que manifestaram intenção de anular ou votar em branco permanecem em 13%, e os eleitores que não souberam responder oscilaram de 4% para 3%.

Ainda mais do que na rodada anterior, a pesquisa indica que haveria segundo turno em São Paulo se a eleição fosse hoje porque Russomanno caiu de 40% para 35% dos votos válidos (descontados brancos e nulos). É necessário que um candidato consiga 50% mais um voto para se eleger no primeiro turno.

Pouco mais de metade dos paulistanos aptos a votar assistiu à propaganda eleitoral na TV: 52%, contra 47% que dizem não ter visto. Dos que viram, a maior parte (39%) se lembra mais de ter assistido ao programa eleitoral (da hora do almoçou ou da noite). Um terço mencionou os comerciais de 30 segundos no meio da programação, e 26% dizem ter visto ambos os tipos.

A propaganda na TV e rádio serviu para despertar mais eleitores para a campanha pela prefeitura de São Paulo. Caiu a menos da metade, de 45% para 20%, a taxa dos que não sabem dizer espontaneamente em quem votarão. Essa intenção de voto é a primeira a ser pesquisada, e o eleitor precisa saber o nome do candidato de cor para responder. Por isso, tende a indicar o tamanho do eleitorado mais consolidado de cada candidato.

Na espontânea, Russomanno cresceu de 11% para 21%, Marta subiu de 4% para 13%, e Doria cresceu de 4% para 11%. Haddad oscilou de 6% para 7%, e Erundina, de 3% para 2%. A taxa de branco e nulo na pesquisa espontânea permaneceu nos mesmos 23%.

As propagandas de Marta e de Russomanno foram as que mais se fixaram na memória do eleitor: 70% dizem ter visto a da candidata do PMDB, e 67%, a do líder. Apesar de ter mais tempo de exibição do que a de todos os rivais, a propaganda de Doria só foi lembrada por 52% dos eleitores. Menos lembrança ainda teve a de Haddad, citada por 46%. Só 25% viram Erundina na TV.

A propaganda eletrônica serviu para aumentar o conhecimento dos eleitores sobre o número de seus candidatos, que é indispensável para ele conseguir transformar sua intenção em voto. Agora, três vezes mais eleitores de Marta sabem que o número da ex-petista é 15 e não 13 (ao contrário do que ocorria na rodada pré-propaganda): 29% a 10%. De quem vota em Russomanno, 30% sabe que ele é o 10; dos eleitores de Doria, 49% sabem que ele é o 45; e 48% dos de Haddad sabem que seu número é o 13.

O Ibope entrevistou 1.001 eleitores face a face entre os dias 10 e 13 de setembro, em todas as regiões da cidade de São Paulo. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, em um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi contratada pela Globo Comunicação e Participações S/A e pela S/A O Estado de S.Paulo. Está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o protocolo SP-01493/2016.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: