Demóstenes e Cachoeira subiram juntos -aos olhos do público

Demóstenes e Cachoeira subiram juntos -aos olhos do público

Jose Roberto de Toledo

12 de abril de 2012 | 16h40

Carlinhos Cachoeira e Demóstenes Torres subiram juntos, pelo menos no interesse do público. A pesquisa pelos seus nomes (e apelido) no Google Trends revela a exposição recorde que ambos tiveram nos meios de comunicação nas últimas semanas. Nunca nenhum deles despertou tanta atenção.

No caso do senador, as buscas pelo seu nome e o noticiário a seu respeito nunca chegaram nem à metade do pico que alcançaram desde 27 de março, quando foram divulgadas suas conversas com o acusado de comandar o crime organizado em Goiás e arredores.

O senador corre o risco de ter acertado em cheio quando disse a colegas que estava morto politicamente. O Estado onde mais internautas buscaram por seu nome e pelo de Cachoeira foram os de Goiás, especialmente de Anápolis e Goiânia, dois redutos eleitorais seus.

Para a defesa do senador goiano, um outro problema: o noticiário redivivo sobre Cachoeira puxa novos títulos e textos sobre o seu cliente. Ou seja, não adianta Demóstenes se fingir de morto que o caso não será esquecido enquanto houver notícias novas sobre a extensão da rede de tráfico de influência montada pelo amigo preso. Cachoeira e Demóstenes estão colados como siameses no imaginário dos internautas.

Tudo o que sabemos sobre:

corrupçãointernetopinião pública

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: