As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Confiança do consumidor em queda explica desgaste de Dilma

Jose Roberto de Toledo

28 Junho 2013 | 18h10

O INEC (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor) de junho é o mais baixo do governo Dilma. Ele ajuda a explicar a queda de popularidade da presidente, porque há uma forte correlação estatística entre o saldo de aprovação presidencial e a confiança do consumidor. Pior: projeta piora da avaliação.

A queda do INEC significa que não basta Dilma Rousseff dar uma resposta política às demandas da rua. Há um problema mais amplo e com implicações muito mais graves para sua reeleição: cada vez mais brasileiros estão avaliando que inflação e desemprego vão crescer, e menos gente acha que sua renda vai aumentar.

Os números embutem o maior desafio já vivido por Dilma na Presidência: reverter a tendência de aumento do pessimismo econômico que se estende desde dezembro. Se ela falhar, corre o risco de entrar em um círculo vicioso no qual a desconfiança do consumidor puxa a desaprovação do eleitor e vice-versa.