Confiança de europeus em governos e bancos vai para o ralo

Jose Roberto de Toledo

22 de dezembro de 2011 | 16h40

Pesquisa Gallup nos 27 países membros da União Europeia mede o grau de descrédito a que chegaram os governantes e banqueiros do continente. Na média, só 1 em cada 3 europeus confia no governo do seu país (36%). A confiança nos bancos e instituições financeiras não é muito melhor: 43%. Para um sistema que é baseado só em confiança, esses 43% são alarmantes. Alarmante também é o fato de a instituição na qual o europeu médio mais confia são os militares.

De 27 governos avaliados por seus governados, apenas cinco passaram no teste de confiança e tiveram mais de 50% de respostas positivas. Ao mesmo tempo, em 13 países menos de um terço da população diz confiar no seu governo. São os casos da Espanha (31%), Itália (26%) e Portugal (21%). Nesses casos, é preciso levar em conta que as pesquisas foram feitas antes da troca de governo.

O resultado não é muito melhor quando se comparam os graus de confiança nos bancos de cada país. Embora as pesquisas tenham alguns meses de idade, elas indicam a profundidade da crise europeia e apontam para uma enorme dificuldade de recuperação diante de um grau de desconfiança tão alto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.