Campanha tucana fracassa nas três grandes áreas de SP

Jose Roberto de Toledo

27 de outubro de 2012 | 19h42

A pesquisa Ibope da véspera da eleição indica que a campanha de José Serra (PSDB) fracassou em todas as áreas homogêneas da cidade de São Paulo. A estratégia tucana não conseguiu conquistar os eleitores que moram longe e ganham mal, nem fidelizou quem vive nas áreas centrais e têm maior renda. E ainda perdeu a maior parte dos que estão no meio do caminho.

Na zona petista – onde candidatos do PT ganharam as últimas quatro eleições majoritárias -, Serra perde na proporção de 2 a 5 para Fernando Haddad (PT), segundo o Ibope. Nesses distritos periféricos, que somam 38% do eleitorado paulistano, o petista deve abrir 1 milhão de votos de vantagem sobre o tucano. É sinal de que na região mais pobre da cidade a campanha de Serra não conseguiu mudar a imagem de que ele governa para os ricos.

Na zona antipetista – a parte mais rica da cidade onde mora metade do eleitorado, e os candidatos do PT perderam as últimas quatro eleições majoritárias sem exceção -, Serra está dois pontos à frente de Haddad, segundo o Ibope. Desconsiderada a margem de erro, Serra abriria pouco menos de 100 mil votos sobre Haddad. É muito pouco se comparados aos resultados obtidos por Gilberto Kassab (PSD) em 2008 e pelo próprio Serra em 2004.

Isso indica que Haddad conseguiu seduzir muitos eleitores que, na média, têm renda duas vezes e meia mais alta do que os da zona petista. Seja pelo título de professor da USP, ou por ser neófito em eleições, Haddad conseguiu manter uma rejeição (36%) mais baixa do que a de Serra (40%) nas áreas centrais e ricas da cidade. Nem a campanha negativa de Serra ao longo do segundo turno conseguiu deixar a imagem de Haddad pior que a sua.

A zona volúvel que fica entre as zonas petista e antipetista pendeu em peso para Haddad. Segundo o Ibope, ele ganha de Serra nessa área onde votam 8% dos paulistanos na proporção de 2 votos para 1. Em números absolutos, isso deve significar uma vantagem de 150 mil a 200 mil votos para o petista. Ou seja, a campanha de Serra não conseguiu cativar os emergentes tampouco.

Somadas as três grandes zonas eleitorais da cidade, Haddad venceria com mais de 1 milhão de votos de vantagem, pelo Ibope.

O fracasso da campanha eleitoral tucana se reflete até no ânimo dos seus simpatizantes. Praticamente 1 a cada 3 eleitores de Serra acha que Haddad será eleito prefeito neste domingo. Pior: 40% dos paulistanos que se declaram tucanos acham que o candidato do partido rival será o vencedor no domingo. Essa taxa foi crescendo ao longo do segundo turno, mostrando que a campanha do PSDB não empolgou nem o núcleo duro do tucanato.

Enquanto isso, dos que declaram voto em Haddad, só 6% apostam em vitória de Serra. Uma maioria de 89% dos eleitores do petista está confiante na vitória de seu candidato, diz o Ibope.

Tudo o que sabemos sobre:

2012eleiçãoHaddadibopepesquisaSerraSP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.