Secretária de Goiás recusa convite de Doria para Finanças

Vera Magalhães

28 Outubro 2016 | 08h15

A secretária de Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão Costa, recusou convite do prefeito eleito de São Paulo, João Doria Jr., para assumir a Secretaria de Finanças do município.

Ela alegou motivos de ordem familiar, mas o blog apurou que o baixo salário da prefeitura e o desejo da economista de retomar uma carreira na iniciativa privada pesaram na decisão.

Para contar com a colaboração de Ana Carla, uma das mais destacadas gestoras da nova geração, que chegou a ser cotada para a equipe de Henrique Meirelles no Ministério da Fazenda, Doria vai criar um Conselho da Secretaria de Finanças, com sete integrantes, que será presidido por ela.

Ana Carla também irá coordenar a transição de governo na área de finanças, a partir das próximas semanas.

O tucano vai replicar esse modelo de um conselho para acompanhar o trabalho de todas as 22 secretarias que terá em sua gestão, sempre com sete membros e papel ativo na discussão das propostas das pastas.

Doria também está enfrentando dificuldade para convencer Mozart Ramos, seu escolhido para assumir a Secretaria de Educação, a aceitar o convite. De novo, a razão é o salário baixo.

A nova lei das estatais proíbe que membros do primeiro escalão de governos sejam integrantes de conselhos de autarquias ou estatais, expediente que era comumente usado para completar salários no setor público.