Luciano Coutinho teve condução coercitiva determinada, mas está no exterior

Vera Magalhães

12 de maio de 2017 | 09h04

O economista Luciano Coutinho, ex-presidente do BNDES no governo Dilma Rousseff, teve a condução coercitiva para prestar esclarecimentos deferida na Operação Bullish.
O mandado, no entanto, não foi cumprido, porque Coutinho está no exterior.
A operação, deflagrada nesta sexta, apura fraude na concessão de R$ 8 bilhões pelo BNDES para o grupo JBS.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.