Eleição em PE pautou recorde de traições no PSB

Vera Magalhães

11 de outubro de 2016 | 08h49

A disputa do segundo turno das eleições no Recife (PE) foi a principal razão do recorde de traições ao governo na base do governo Michel  Temer, registrada no PSB.

O partido, que comanda o governo de Pernambuco e a prefeitura da capital, deu 10 votos contra a PEC do teto de gastos. Quatro deles vieram de Pernambuco — e teriam sido mais se o governo não tivesse mandado de volta à Câmara os ministros Fernando Bezerra Coelho Filho (Minas e Energia), que é do PSB, e Bruno Araújo (Cidades), do PSDB.

O prefeito Geraldo Julio disputa o segundo turno contra o petista João Paulo, que usa o limite de gastos em áreas sociais para fustigar o adversário.

A ação da cúpula do PSB contra o teto irritou o governo Michel Temer. Afinal, o partido detém um ministério.