“Brasil só muda à beira do abismo, e mesmo assim em câmera lenta”

Vera Magalhães

08 Março 2018 | 11h58

O economista José Roberto Mendonça de Barros, da MB Associados, traçou um cenário otimista para a economia pelo menos até 2019, mesmo sem a aprovação da reforma da Previdência neste governo. Mendonça de Barros defendeu que houve certo “alarmismo” quanto aos efeitos imediatos da não-aprovação da reforma para as contas públicas. Segundo ele, a inflação e os juros em queda, somados ao aumento da arrecadação, permitirão mitigar o efeito no curto prazo. Mas a reforma é uma necessidade inescapável para o futuro presidente, disse ele em evento do banco francês Socité Generale.

“O Brasil só muda à beira do abismo, e mesmo assim em câmera lenta”, concluiu, arrancando riso da plateia de empresários e investidores.