As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Movimento negro se une para defender cotas nas universidades paulistas

Roldão Arruda

09 Maio 2012 | 19h54

Acaba de ser lançada a Frente Pró-Cotas Raciais de São Paulo. Com a participação de várias organizações do movimento negro paulista, vai se dedicar à defesa de ações afirmativas no Estado.

Uma de suas principais reivindicações é a implantação do sistema de cotas destinadas a promover a presença de negros e pardos nas universidades paulistas – as chamadas cotas raciais. A  USP, a Unesp e a Unicamp utilizam atualmente o critério de cotas sociais, destinadas a alunos provenientes da rede pública de ensino.

A frente deve lançar um abaixo assinado nas cotas raciais nas universidades, no serviço público e também na iniciativa privada. O documento seria entregue ao governador e à Assembleia Legislativa em novembro.

O acordo sobre a frente foi formalizado na terça-feira (8), durante uma reunião no Auditório Pedrosa Horta, da Câmara Municipal. O lançamento oficial deverá acontecer dentro de um mês.

Paralelamente a essas iniciativa, está programado para esta quinta-feira (10) um ato público, na Praça da Sé, em defesa das cotas raciais.

Mais conteúdo sobre:

racismoUnespUnicampUSP