As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Comissão da Verdade do Largo São Francisco começa a funcionar em fevereiro

Roldão Arruda

11 de janeiro de 2013 | 19h36

A Comissão da Verdade da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, a primeira da Universidade de São Paulo (USP), vai começar a funcionar na segunda quinzena de fevereiro. A sessão de instalação deve integrar as atividades de recepção dos calouros.

O objetivo da comissão, criada por decisão da congregação da escola, é examinar e esclarecer violações de direitos humanos ocorridas no período da ditadura militar, entre 1964 e 1985, no âmbito da instituição. Os seus integrantes foram nomeados nesta semana pelo diretor da faculdade, Antonio Magalhães Filho.

Por meio de portaria assinada na quarta-feira, 9, ele indicou como presidente da comissão o professor Gilberto Bercovici, titular da cadeira de drieito econômico e economia política. Os outros docentes nomeados foram Ana Elisa Liberatore Silva Bechara, professora associada do departamento de direito penal, e Geraldo Miniuci Ferreira Júnior, do departamento de direito internacional.

Os professores haviam sido previamente escolhidos por meio de votação entre seus pares. Os representantes do corpo discente e dos servidores da escola também foram eleitos.

Os estudantes cujos nomes aparecem na portaria são Lucas Bulgarelli, Luccas Cartocci e Tais Chartouni Rodrigues. Os servidores são Odesildo Olímpio de Macedo, Aníbal Ribeiro Cavali e Alexandre Pariol Filho.

A primeira reunião do grupo foi realizada no dia 12 de dezembro. Na ocasião foi definido o regimento interno. Também ficou decidido que será criado na faculdade um grupo de estudo sobre justiça de transição.

Representantes da Comissão Nacional da Verdade deverão ser convidados para a cerimônia de instalação da Comissão do Largo São Francisco. Entidades de defesa de direitos humanos do Estado e do municípios também serão convidadas.

Com a instalação oficial da comissão da Faculdade de Direito, as atenções voltam-se agora para a Reitoria da USP, onde tramita um pedido de criação de um órgão semelhante. A diferença é que abrangeria todas as unidades da universidade.

Acompanhe o blog pelo Twitter – @Roarruda

publicidade

publicidade