As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vice ignora denúncias e diz estar preparado para assumir Prefeitura de Campinas

Jennifer Gonzales

20 de agosto de 2011 | 13h10

Tatiana Fávaro, de O Estado de S.Paulo

Em carta divulgada na manhã deste sábado, 20, o vice-prefeito de Campinas Demétrio Vilagra, a quem será passado o cargo de prefeito após a cassação de Hélio de Oliveira Santos (PDT), afirmou estar preparado para assumir a administração da cidade. “Não posso nem vou, neste momento, falar como prefeito. Como vice-prefeito, porém, reitero que estou preparado para assumir o cargo de prefeito em prol da cidade que precisa voltar a caminhar a passos largos rumo ao desenvolvimento econômico e social”, informou em nota.

Demétrio não comentou sobre a avalanche de denúncias de corrupção que cobriu a cidade no primeiro semestre deste ano. O petista não repercutiu a possibilidade de, assumindo o cargo, poder ser alvo de uma nova Comissão Processante. Nem tampouco falou sobre o impeachment do homem que ele apoiou para governar Campinas. “Entendo que este momento deva ser canalizado em uma ação em prol do município, para que Campinas saia fortalecida da crise e volte a crescer, de maneira legal e totalmente transparente”, afirmou. “Tenho um pacto com Campinas e com as metas para que a cidade cresça. Não compactuo com o erro.”

O vice-prefeito pediu o apoio de todos os partidos, vereadores e empresários, da mídia e da sociedade. Caso Demétrio seja também alvo de um impeachment, quem assume a prefeitura é o presidente da Câmara de Campinas, Pedro Serafim Júnior, do mesmo PDT de Hélio. O vereador, no cargo máximo do Executivo, terá então de convocar eleições diretas.

Em entrevista ao Estadão.com.br, o vereador Artur Orsi, autor do pedido de impeachment contra o Dr. Hélio na Câmara Municipal, afirmou que a tendência é que o mesmo pedido seja feito contra Vilagra. “Você tem uma série de denúncias diretas contra ele”, afirma. O líder do PT na Câmara, Angelo Barreto, respondeu ao tucano e acusou o PSDB de tentar antecipar as eleições de 2012.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.