As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Verdes comparecem à reunião de campanha do PT em São Paulo

Ricardo Chapola

18 de outubro de 2010 | 14h29

Rodrigo Alvares, de São Paulo

Um dia depois do debate na RedeTV, cujo tema principal foi a administração do PSDB em São Paulo, a frente suprapartidária da coligação da candidata petista Dilma Rousseff se reuniu nesta segunda-feira, 18, na capital paulista para discutir os próximos passos da campanha no Estado. Além dos integrantes da coligação ao governo do Estado, também marcaram presença dois prefeitos e um deputado federal do PV de municípios paulistas para declarar apoio à petista: Ivana Maria Bertolini Camarinha, de Pederneiras e Paulinho Barros, de Mogi Guaçu; e o deuptado Roberto Santiago, de Atibaia. “Não dá pra fazer outra opção para o Brasil. A ala que pensa no País, que quer o desenvolvimento do País está com Dilma”, afirmou Santiago.

O candidato à vice na chapa de Dilma, Michel Temer (PMDB), compareceu ao evento e disse que se reuniu na manhã desta segunda-feira com todos os zonais do PMDB em SP. “Eles saíram de lá num entusiasmo extraordinário. Estamos nessa reta final de campanha e apoiamos resolutamente o governo Lula no congresso. Para o Brasil seguir mudando é importante que Dilma seja eleita”.

O ato também serviu para criticar a campanha de Serra. O deputado Marcos Feliciano (PSC), ligado ao movimento evangélico, foi um dos que criticaram a campanha do tucano. “Algumas coisas apareceram na internet e o povo evangélico é um pouco crédulo. Quando Lula foi eleito, eles também ficaram com medo de que ele também fechasse as igrejas”.

Outro que tomou a palavra para criticar o tucano foi o padre Júlio Lancellotti. “A palavra de Deus deve ser usada para salvar, não para condenar. Para mim, nunca mais uma campanha eleitoral será tão manipulada para a vergonha do nosso povo”. Também ligado ao movimento religioso, Gabriel Chalita afirmou que não dá para fazer uma “política de estatística, de submundo, ela precisa respeitar as pessoas. Acho que é isso que temos que fazer agora”, disse.

Outra crítica veio do vereador Carlos Apolinário (DEM). “Sou evangélico há 51 anos, mas quando fiz campanha com o slogan ‘São Paulo nas mãos de Deus’ apanhei da imprensa. Ai aparece o Serra e começa a colocar Jesus na campanha dele”.

Tudo o que sabemos sobre:

Dilma RousseffevangélicosPTPVreunião

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.