Veja os aliados que não aparecem nos palanques de Dilma e Aécio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Veja os aliados que não aparecem nos palanques de Dilma e Aécio

Nomes como Paulo Maluf e José Roberto Arruda têm sido evitados pelos candidatos devido prejuízo que podem causar às suas imagens

Redação

22 de outubro de 2014 | 05h00

Em meio a uma das disputas mais acirradas das eleições presidenciais nos últimos anos, com os candidatos chegando a trocar farpas e acusações pessoais nos debates, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) têm evitado aparecer em público com seus apoiadores mais polêmicos e que podem prejudicar sua imagem junto ao eleitorado.

Se por um lado o tucano comemorou o apoio público de Marina Silva (PSB), que conseguiu 21% dos votos válidos, à sua candidatura, por outro ele sequer tem mencionado o seu correligionário Eduardo Azeredo, réu no mensalão mineiro que pode pegar 22 anos de prisão. Já a presidente Dilma, também tem evitado associar sua imagem a caciques do PMDB, principal partido de sua base aliada. Confira abaixo alguns dos aliados evitados pelos candidatos:

José Sarney (PMDB-AP) – Acusado de envolvimento em diversos escândalos, dentre eles a nomeação de seus parentes para cargos por meio de atos secretos no Senado, o senador faz parte dos que apoiam oficialmente a candidata petista, mas não tem aparecido em seu palanque.

SARNEY / CRISE SENADO

 

Paulo Maluf (PP-SP) – Condenado por improbidade administrativa pelos desvios nas obras do Túnel Ayrton Senna durante sua gestão na prefeitura de São Paulo, Maluf também é outro aliado da presidente que não aparece em sua campanha.

malufwilsonpedrosa

 

Renan Calheiros (PMDB-AL) – Outro cacique do PMDB acusado de envolvimento em diversos escândalos, como o pagamentos de R$ 400 mil de pensão para a jornalista Mônica Veloso por meio de lobista ao longo de 21 meses, o presidente do Senado também é um dos apoiadores que a petista tem evitado de aproximar.

renan calheiros senado_dida sampaio ae_04122007 600

 

Eduardo Azeredo (PSDB-MG) – Réu no mensalão mineiro, o ex-deputado renunciou ao cargo para evitar ser julgado no STF e aguarda seu julgamento pela participação no esquema do empresário Marcos Valério que financiou sua campanha ao governo de Minas em 1998.  Ele chegou a aparecer no palanque de Aécio Neves em julho, mas de forma discreta. O candidato tucano, contudo, não tem aparecido próximo a Azeredo em seus atos de campanha.

EDUARDO AZEREDO/MENSALAO MINEIRO

 

Neca Setúbal – A educadora e herdeira do Banco Itaú, que coordenou o programa de governo de Marina Silva (PSB) ficou emarcada após os ataques do PT associando ela aos interesses dos banqueiros. Neca chegou a declarar publicamente seu apoio a Aécio, mas nunca foi vista em atos de campanha do tucano, que também não fez esforços para ter a presença dela em seu palanque.

NECA SETUBAL e MAURICIO RANDS

 

José Roberto Arruda – Único governador a ser preso no exercício de seu mandato, alvo de 26 processos na Justiça do Distrito Federal e barrado pela Ficha-Limpa é um dos grandes apoiadores de Aécio no Distrito Federal. O tucano contudo, tem evitado associar sua imagem à do ex-governador.

joserobertoarrudaestadao

 

Tudo o que sabemos sobre:

EleiçõesPSDBPT

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.