As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Veja o perfil de Fernando Haddad, o novo prefeito de São Paulo

Redação

28 de outubro de 2012 | 18h46

O Estado de S.Paulo

Com cinco livros publicados, mestrado em Economia e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), Fernando Haddad concorreu pela primeira vez a um cargo eletivo. Mas antes da vida acadêmica e da política, o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo trabalhou como vendedor na Mercantil Paulista de Tecidos. A loja era mantida por seu pai, o libanês Khalil Haddad, na Rua Comendador Abdo Schahin, paralela à 25 de Março. Depois de migrar para o Brasil em 1947, Khalil casou-se com Norma Thereza Goussain Haddad, brasileira filha de libaneses, com quem teve três filhos: Priscila, Lúcia e Fernando, nascido em 25 de janeiro de 1963, na Vila Mariana.

A família se mudou seis anos depois para o Planalto Paulista, na zona sul, onde Haddad costumava jogar em campos de várzea improvisados nos terrenos baldios do novo bairro. Na pré-escola e no ensino fundamental, estudou no colégio Ateneu Ricardo Nunes, no Planalto Paulista. A partir de 1978, cursou o atual ensino médio no Colégio Bandeirantes e, em 1981, ingressou na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da USP. Conciliando os estudos com o trabalho de vendedor de tecidos com o pai, Haddad guardava na sobreloja os livros que tinha de ler.

No terceiro ano da faculdade, Haddad iniciou sua atuação na militância estudantil. Tornou-se presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto em 1984, tendo participado das passeatas e comícios do movimento Diretas Já. Conhecido como “Dandão” na juventude, casou-se com a dentista Ana Estela Haddad em 1988, com quem tem dois filhos, Frederico e Ana Carolina.

Haddad manteve sua trajetória acadêmica até meados dos anos 90, concluindo o mestrado em Economia em 1990 e doutorado em Filosofia em 1996. No ano seguinte, foi aprovado no concurso para lecionar na USP, tornando-se professor do departamento de Ciência Política, cargo do qual está licenciado atualmente. Também atuou no ramo da incorporação e construção, em sociedade com seu cunhado, o engenheiro Paulo Nazaré, em 1998, se tornou consultor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), criando a tabela Fipe.

A troca da vida acadêmica pela vida política ocorreu quando Haddad assumiu a função de chefe de gabinete da Secretaria de Finanças, de 2001 a 2003, na gestão Marta Suplicy. Em 2003, passou a integrar a equipe do Ministério do Planejamento, como assessor especial. Também foi ministro da Educação nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, entre julho de 2005 e janeiro de 2012. Nos tempos do ministério, aprendeu a lutar tae kwon do, arte marcial que serviu para ajudá-lo nos momentos mais críticos da campanha.

 

Tudo o que sabemos sobre:

eleições 2012Fernando HaddadPT-SP

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.