As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Corpo de José Alencar é cremado em Minas Gerais

TANIA MARIA BARBOSA MARTIN

31 de março de 2011 | 16h44

alencar_cemiterio_marcos_de_paula_ae_31032011_600.jpg
Corpo de Alencar chega ao crematório no cemitério Parque Renascer, em Contagem. Marcos de Paula/AE

Daiene Cardoso, enviada especial

Terminou por volta das 15h desta quinta-feira, 31, a cerimônia de despedidas da família ao ex-vice-presidente José Alencar no cemitério Parque Renascer, em Contagem (MG), onde o corpo passa por cremação. Segundo a família, as cinzas serão levadas para a Igreja Nossa Senhora da Glória em Muriaé, cidade mineira onde o ex-vice-presidente nasceu. Um dos netos dele ficou no crematório para receber as cinzas.

De acordo com assessores da Casa Militar do governo de Minas Gerais, o procedimento de cremação, que geralmente leva 24 horas, foi acelerado para que a família recebesse as cinzas ainda nesta quinta. Conforme o irmão Antonio Gomes da Silva, o ex-vice-presidente queria ser cremado e ter os restos mortais depositados na igreja onde foi batizado. “Isso era um pensamento dele. Ele sempre pensou que a pessoa tinha de voltar por onde passou”, disse o irmão, emocionado.

Na chegada ao cemitério, por volta das 14h30, o caixão foi recebido com honras militares pelo Exército, com salva de 3 tiros de fuzil e 21 de canhão. Antonio Gomes da Silva descreveu a cerimônia de despedidas da família como simples, mas emocionante. A família recebeu pétalas de rosas para jogar sobre o caixão. Ele disse que a cerimônia “retratou o fim dessa luta, dessa vida aqui.” O irmão de Alencar agradeceu as demonstrações de carinho recebidas pela família em Brasília e em Minas Gerais. “Estamos muito agradecidos. Vocês não podem compreender o quanto”, afirmou.

Sofrimento. Para a família, Alencar ficará na lembrança pela simplicidade e retidão. “Ele sempre foi uma pessoa extraordinária”, definiu a irmã do ex-vice-presidente Célia Peres da Silva Freitas. Ela lembrou que os 13 anos de luta contra o câncer foram um sofrimento para toda a família. “Eu sofri com ele nessa doença, sofri dia e noite, e eu rezava, mas sabendo que o caso dele era muito grave.”

No final da cerimônia, o filho Josué Gomes da Silva deixou o crematório carregando a bandeira brasileira que cobriu o caixão de Alencar. A família ainda não decidiu quando as cinzas serão levadas para Muriaé.

José Alencar morreu no dia 29 março de 2011, às 14h41, no Hospital sírio-libanês, em São Paulo. Ele sofria com um câncer e, após 17 cirurgias ao longo da vida, teve falência múltipla de órgãos. Ocupou a vice-presidência da República no governo Lula, entre 2003 e 2010.

Veja também:

linkCorpo de Alencar é velado no Palácio do Planalto
mais imagensVeja a galeria de fotos do velório
link
Ex-vice José Alencar morre em São Paulo aos 79 anos
linkPolíticos e personalidades lamentam morte de Alencar
linkEmpresário, Alencar lutou por juros mais baixos
linkLeia entrevista de Alencar ao ‘Estado’
somOuça entrevistas com o ex-presidente
somAcompanhe a cobertura da Estadão/ESPN ao vivo
especialESPECIAL: A trajetória de José Alencar