As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tensão entre base e governo envolve votação do Código Florestal

Lilian Venturini

24 de abril de 2012 | 21h06

Denise Madueño, da Agência Estado

O clima de tensão entre a presidente Dilma Rousseff e os seus aliados na Câmara dos Deputados intensificou-se na noite desta terça-feira, 24, em torno da votação do Código Florestal. Os líderes da base estão reagindo à interpretação regimental do presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), que favorece a aprovação do texto dos senadores, como defende o governo. Ao contrário, deputados da base, majoritariamente, defendem a aprovação do projeto elaborado pelo relator, deputado Paulo Piau (PMDB-MG), que anistia os produtores rurais que desmataram irregularmente em áreas às margens dos rios, classificadas de Áreas de Preservação Permanente (APPs).

Pela manhã, os líderes da base avisaram a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, que o governo seria derrotado na votação. À tarde, Marco Maia sinalizou que poderia rejeitar a mudança feita pelo relator Paulo Piau, que retirou a exigência de recomposição das APPs às margens dos rios com base em regras regimentais.

Por volta das 19h, Maia estava no Palácio do Planalto reunido com a ministra Ideli Salvatti. A base ameaça se rebelar e se voltar contra a interpretação de Maia. A sessão da Câmara para votação do Código Florestal ainda não começou.

Tudo o que sabemos sobre:

código florestal

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: