As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Site do senador Requião é invadido

Lilian Venturini

25 de junho de 2011 | 15h29

Lilian Venturini, do estadão.com.br

O site do senador Roberto Requião (PMDB-PR) também foi alvo de suspostos ataques virtuais neste sábado, 25.  Declaram ter sofrido invasões também a Universidade de Brasília (UnB) e a Secretaria de Estado de Administração de Mato Grosso. Desde quarta-feira, 22, páginas oficiais do governo brasileiro, instituições públicas e de políticos vêm sendo atacadas.

Em seu perfil no Twitter, Requião informou que o problema já estava sendo solucionado, mas não deu detalhes do que ocorreu. “Desocupados invadiram meu sítio. Genival José, sempre atento, já está providenciando o pleno funcionamento. Polícia Federal nesses canalhas!”, escreveu nesta tarde. Até a publicação deste post a página continuava com a mensagem “site em manutenção”.

Na tarde desta sexta-feira, 24, o perfil do presidente da Câmara, deputado federal Marco Maia (PT-RS), também foi invadido. Os ataques mencionados não tiveram autoria assumida por nenhum grupo até o momento.

A primeira onda de ataques foi assumida por LulzSecBrazil, braço brasileiro do Lulz Security. Neste sábado, um porta-voz do grupo declarou que o objetivo é atacar os “que estão no topo” da sociedade e combater a corrupção. A Polícia Federal investiga os casos.


Mato Grosso
. O site da Secretaria de Estado de Administração de Mato Grosso está fora do ar desde que técnicos constataram a invasão.  O Centro de Processamento de Dados de Mato grosso (Cepromet), responsável pela manutenção dos sites do governo, trabalha para descobrir de que forma e por onde ocorreu o ataque.  Segundo a assessoria da secretaria, o ataque foi isolado e atingiu apenas a página principal do site. A PF já foi acionada.

Atualizado às 15h50 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:

hackersRequião

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: