As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Serra vê pouco efeito em rigor fiscal do governo Dilma

Lilian Venturini

25 de fevereiro de 2011 | 16h54

Os cortes anunciados pelo governo Dilma Rousseff são exemplos de “falso rigor fiscal”, na avaliação do ex-governador José Serra (PSDB). Em entrevista concedida à rádio Jovem Pam na manhã desta sexta-feira, 25, o tucano afirmou que é preciso ver as ações na prática e por ora elas servem apenas de discurso para mostrar austeridade. Para ouvir trechos da entrevista, clique aqui.

José Serra também criticou a discrição da presidente com a imprensa. Para ele, ao dar menos entrevistas e evitar exposições, abre-se caminho para uma “omissão sistemática”. “Achava-se que o Lula falava demais. Mas não justifica que o governo deixe de falar sobre as coisas que são importantes, como o valor mínimo, do trem-bala”, enumerou.

Sobre seu futuro político, o ex-presidenciável voltou a descartar sua candidatura à prefeitura paulistana em 2012. “Já fui prefeito e posso continuar sendo muito útil ainda na batalha, deixando as eleições para 2014 para o que Deus quiser e o que vier. Na verdade, é muito cedo para 2014”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:

Dilma RousseffEleiçõesJosé Sarney

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.