As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Senadores pedem informação sobre atuação de Demóstenes junto à Anvisa

Bruno Lupion

10 de maio de 2012 | 17h20

Agência Senado

Além da definição do cronograma de depoimentos, o Conselho de Ética aprovou uma série de requerimentos de informação apresentados pelo relator do processo, senador Humberto Costa (PT-PE). Em um deles, são solicitados dados à Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre reuniões do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) com funcionários da instituição, além da lista de acompanhantes do parlamentar aos encontros.

O pedido teria sido motivado pela divulgação de diálogos interceptados pela Polícia Federal que apontam a prática de lobby por parte de Demóstenes para que o laboratório Vitapan, do empresário Carlos Cachoeira, obtivesse licenças de medicamentos e renovações.

À Presidência do Senado, Humberto Costa pede informações sobre eventuais registros de entrada e movimentações de Carlinhos Cachoeira, Gleyb Ferreira da Cruz, Geovani Pereira da Silva e Idalberto Matias de Araújo, nas dependências do Senado, por meio de protocolos de acesso e gravações por videocâmaras no período entre 1º de fevereiro de 2003 até 6 de março de 2012.

Outro pedido à Presidência do Senado diz respeito a informações sobre a relação de servidores comissionados lotados no gabinete do senador Demóstenes Torres e no gabinete da Liderança do Democratas, no período em que o parlamentar exerceu o cargo de líder daquele partido.

Os integrantes do Conselho de Ética também aprovaram requerimentos que pedem as prestações de contas do senador Demóstenes Torres nas últimas três eleições, cópia do imposto de renda e registro do uso de táxi aéreo. Aprovaram ainda o acesso aos áudios dos telefonemas realizados entre Demóstenes e Cachoeira, que já estão em poder da CPI mista.

Segundo Humberto Costa, essas informações, juntamente com as oitivas na CPI mista, darão mais substância ao relatório final, que ele pretende apresentar ainda neste semestre.

“O senador Demóstenes defendeu em discurso que sua relação com Cachoeira era meramente de amizade e essas informações podem caracterizar que essas relações não se restringem unicamente a uma relação de amizade, como os indícios apontam”, disse o senador pernambucano.

Ao fim das investigações, Humberto Costa apresentará o relatório final indicando as punições que devem ser aplicadas a Demóstenes. Elas podem variar de uma simples advertência até a perda do mandato.

Tudo o que sabemos sobre:

Anvisacpi do cachoeiraDemóstenes Torres

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.