As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sem Kassab, Temer quer ter Skaf candidato a prefeito de São Paulo

Ricardo Chapola

17 de fevereiro de 2011 | 16h58

Alberto Bombig

SÃO PAULO – O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, negocia sua transferência do PSB para o PMDB, partido pelo qual planeja concorrer à prefeitura de São Paulo no ano que vem. A mudança conta com o respaldo do vice-presidente da República, Michel Temer, hoje o principal líder peemedebista no Estado.

A intenção de Temer é lançar um candidato majoritário a prefeito de São Paulo em 2012 como estratégia de reconstrução do PMDB paulista _o partido conta com um bom tempo de televisão, mas está desarticulado na capital e no interior. Skaf concorreu ao Palácio dos Bandeirantes no ano passado e teve mais de um milhão de votos, quase 5% do total de válidos, terminando a corrida eleitoral em quarto lugar.

Dentro do PSB, situação de Skaf é no mínimo desconfortável, pois ele não consegue se entender com o deputado federal Gabriel Chalita, o segundo mais votado do Estado e que também tem planos de disputar a prefeitura de São Paulo em 2012. O próprio Chalita também é uma alternativa estudada por Temer, mas estaria mais inclinado a permanecer no atual partido ou aceitar o convite do PTB.

A transferência de Skaf para o PMDB praticamente decreta a falência do “projeto Kassab”, encampado por Temer no final do ano passado e que tinha por objetivo tirar o prefeito Gilberto Kassab do DEM e transformá-lo em peemedebista. Kassab não pretende apoiar Skaf para sua própria sucessão e já trabalha pela criação de um novo partido, que, no futuro, poderá se fundir justamente ao PSB.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.