As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Secretário de Alckmin diz que PSDB não descarta apoiar outra legenda em SP em 2012

Jennifer Gonzales

21 de novembro de 2011 | 20h43

Jair Stangler, do estadão.com.br

O secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, admitiu nesta segunda-feira, 21, a possibilidade de o PSDB apoiar um candidato de outra legenda em São Paulo. “A gente não pode descartar aliança. Hoje o PSDB está focado em um processo interno. A tendência é ter candidatura própria”, afirmou durante a Marcha Paulista em Defesa dos Municípios, realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Questionado especificamente sobre o caso de São Paulo, o secretário afirmou que “em política você não pode descartar todos os cenários”. “Política é uma coisa que você trata com forças vivas da sociedade, da política, dos partidos. Imagina, maio do ano que vem. Nós não sabemos como vai estar o cenário político. Pode ter uma reviravolta completa e mostrar ao PSDB um outro caminho. Mais importante é o partido exercer a democracia interna que está exercendo hoje. O partido hoje tem quatro pré-candidatos. E ao mesmo tempo exercendo uma política de aliança”, concluiu.

Ele também negou que o PSDB considere a eleição para prefeito de São Paulo como perdida e que a reeleição do governador Geraldo Alckmin em 2014 seja a prioridade do partido nesse momento. Reportagem do Estado desta segunda-feira, 21, mostrou que lideranças do partido já miram 2014. Segundo ele, ainda é cedo para fazer previsões sobre a disputa do ano que vem. “Conhecimento de candidato é só na hora que começa o horário eleitoral gratuito. A gente pega todos os candidatos novos do PSDB, sempre foi assim. A gente só conseguia subir na pesquisa quando começava o horário eleitoral gratuito. A população não está antenada na eleição. Agora tem que fazer debate, fazer o diálogo, construir alianças. O mais importante é o PSDB ter uma construção sólida”, defendeu.

Ele defendeu também que as prévias do partido sejam realizadas no início de 2012, posição que vem sendo defendida pelo governador Geraldo Alckmin.  “A estratégia do PSDB não deve ser definida em função dos outros partidos. Tem outros partidos que tem um outro ritmo”, afirmou.

O partido tem quatro nomes como pré-candidatos do partido: os secretários estaduais José Aníbal (Energia), Andrea Matarazzo (Cultura) e Bruno Covas (Meio Ambiente), além do deputado federal Ricardo Tripoli. Os quatro, que pressionam pela antecipação das prévias, se reúnem nesta terça em São Paulo com o presidente estadual da legenda, Pedro Tobias, e o presidente municipal, Julio Semeghini.

Tudo o que sabemos sobre:

prefeitura de São PauloPSDB

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.