Após polêmica com filha de JK, Kassab diz que PSD pode homenagear outro brasileiro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Após polêmica com filha de JK, Kassab diz que PSD pode homenagear outro brasileiro

Jennifer Gonzales

28 de março de 2011 | 11h09

Jair Stangler, do Estadão.com.br


O prefeito Gilbeto Kassab durante entrevista à rádio Estadão ESPN

O prefeito de São Paulo, deu como encerrada a polêmica com a família de Juscelino Kubitschek envolvendo o uso do nome do ex-presidente pelo seu novo partido, o Partido Social Democrático (PSD). O prefeito concedeu entrevista à rádio Estadão ESPN e também falou rapidamente com o portal Estadão.com.br. Para o prefeito, a polêmica está encerrada. Segundo ele, se a família não achar adequado usar o nome de JK em instituto que será vinculado ao partido, “será homenageado outro brasileiro.”

Kassab: Partido não será de direita, nem de esquerda, nem de centro

Ouça a íntegra da entrevista de Kassab à rádio Estadão ESPN

Ele já havia dito que o uso da sigla era uma homenagem a JK, que havia atuado pelo PSD antes de ele ser extinto pela ditadura militar. Na quinta-feira, 24, Kassab manifestou a intenção de fundar um instituto usando o nome do ex-presidente e disse que já havia conversado com a filha de JK, Maria Estela Kubitschek sobre o assunto. Kassab chegou a registrar o domínio www.JK.org.br em seu nome. Em nota divulgada na sexta-feira, 25, Maria Estela negou que tivesse conversado o prefeito e mostrou contrariedade ao ver o nome de seu pai vinculado a interesses partidários.

Segundo Kassab explicou ao Estadão.com.br, após a nota de Maria Estela, ela confirmou que teve a conversa. “Ela apenas disse que desconhecia a questão da reserva do domínio”, declarou o prefeito. Para ele, foi muito bom que a reserva tenha sido feita. “Imagine se, já que a fundação não tinha feito essa reserva, se um aventureiro tivesse feito? Evidentemente isso será transferido para a família. Tivemos o cuidado de examinar se algo referente ao nome do futuro partido poderia ser registrado e identificamos isso. Porque no dia seguinte ao anúncio da criação do partido muitos iriam tentar fazer a reserva do domínio. E graças a Deus fizemos e por isso será transferido para a família e com certeza ela ficará preservada”, afirmou.

Kassab afirmou ainda que a família será consultada sobre o uso do nome de JK no instituto. “Assim como também o PFL consultou a família de Tancredo Neves. Se a família achar que não é adequado, será homenageado outro brasileiro”, declarou.

Kassab não deu previsão para a fundação do novo partido. “Todos sabem que a nossa prioridade é a administração da cidade”, disse o prefeito. “Então vamos tomar muito cuidado. Existe um grupo que irá trabalhar nessa ideia, nesse projeto. Ainda não existe nem o registro formal em cartório da primeira ata e tudo será feito a seu tempo”, completou.

Kassab também comemorou as novas adesões ao partido, anunciadas no sábado. “Tivemos uma reunião sábado, em Goiás, muito positiva, com a integração de três parlamentares. Três bons deputados federais. Já tivemos na Bahia, em São Paulo, as coisas estão caminhando bem”, disse.

No sábado, os de­pu­ta­dos fe­de­ra­is Vil­mar Ro­cha (DEM), Thi­a­go Pei­xo­to (PMDB) e Ar­man­do Ver­gí­lio (PMN), todos de Goiás, confirmaram suas adesões ao PSD, sen­do se­gui­dos pe­los de­pu­ta­dos es­ta­du­ais Jo­sé Vit­ti (PRTB) e Ma­jor Araú­jo (PRB) e o ve­re­a­dor Vir­mon­des Cru­vi­nel, re­cém-ex­pul­so do PSDC.

Tendências: