Renan vence Collor no troca-troca de partidos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Renan vence Collor no troca-troca de partidos

Redação

10 de outubro de 2011 | 19h52

MACEIÓ – Em meio ao troca-troca de partido, uma mudança teve a maior repercussão em Alagoas. O deputado federal João Lyra deixou o PTB do senador e ex-presidente Fernando Collor rumo ao PSD do prefeito de São Paulo Gilberto Kassab. Além de perder Lyra, usineiro e deputado mais rico do País, Collor teve um apadrinhado vetado pelo PT.

A migração pode representar um rascunho do cenário eleitoral em Alagoas. Incentivado por Lyra, o deputado estadual Dudu Hollanda trocou o PMN do ex-deputado federal Francisco Tenório pelo PSD. Se Lyra não for o candidato do PSD a prefeito de Maceió, Dudu pode ser apresentado como candidato a vice-prefeito numa coligação com partidos da base de sustentação do governo Dilma.

Os demais caciques políticos do Estado permaneceram em seus respectivos partidos. O PMDB, comandado pelo senador Renan Calheiros, recebeu a filiação do secretário municipal de Infraestrutura, Mosart Amaral, que deixou PP, incentivado pelo prefeito de Maceió Cícero Almeida, para ser um pré-candidato de peso a sua sucessão em Maceió.

“Como não vou participar da disputa em 2012, eu continuo no PP, mas se tivesse que disputar um mandato, dificilmente eu ficaria onde estou”, afirmou Almeida, que está concluindo seu segundo mandato. O prefeito disse ainda que poderá fazer campanha para um candidato diferente daquele escolhido pelo PP, que é presidido pelo deputado federal Benedito de Lira.

O governador Teotonio Vilela Filho, líder dos tucanos em Alagoas, recebeu a filiação do ex-deputado federal Rogério Teófilo, que deixou o PPS para disputar a prefeitura de Arapiraca pelo PSDB. Já o PMDB do senador Renan, que faz oposição a Vilela, filiou o deputado estadual Ricardo Nezinho, que pode disputar com Teófilo a segunda maior cidade do Estado.

Veto petista. O PT de Alagoas vetou a entrada do presidente da Câmara de Maceió, Galba Novais (PRB) porque o vereador é ligado ao senador Fernando Collor. Novais foi candidato a vice-governador na chapa de Collor nas eleições de 2010. O veto extra-oficial dividiu o PT de Alagoas, já que uma ala queria a filiação de Galba e outra denunciava o assédio de Collor à legenda.

A disputa gerou até um desabafo do presidente do PT em Alagoas, Joaquim Brito, que chamou de “dinossauros sem votos” alguns líderes petistas que se posicionaram contra a entrada de Galba e seu filho “Galbinha Junior” no PT. O pai seria candidato a prefeito e o filho seria candidato a vereador da capital, com grande chance ser um “puxador” de votos.

Apesar do veto ao afilhado de Collor, o PT de Alagoas aceitou a filiação da ex-prefeita Rosiana Beltrão, que era filiada ao PMDB e uma das principais afilhadas do senador Renan Calheiros. A filiação de Rosiana Beltrão ao PT foi confirmada por Brito. Segundo ele, a atual administradora do Porto de Maceió – cargo conseguido por indicação do senador Renan – será candidata a prefeita de Campo Grande, pelo PT.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.